Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

Aventura lee: Rita Lee lança autobiografia em São Paulo

Imagem
Ser fã de Rita Lee não é para maricas. Assim, do mesmo modo que saí do Rio de Janeiro para São Paulo de busão, outros vieram até do exterior, alguns do Brasil mesmo, porém, não conseguiram a famosa senha. É, vida de fã não é moLEEza... Depois de três anos do lançamento de Storynhas, até desencarnados se interessaram em tentar ver Rita Lee, porque perceberam claramente que esta sorte é cada vez mais de poucos, incluindo (principalmente) a fauna e a flora. Por isso, logo que soubemos que a famosa autobiografia havia sido finalizada, que seria lançada não pela Companhia das Letras e sim pela Globo, que já havia sido entregue, com divulgação da capa, etc, etc, etc, começamos a tramar a ida. É uma trama. Divulgaram que seriam 300 senhas e pensamos, é, teremos que acampar... Hoje o céu está tão lindo... vai, chuva Perguntaram-me: "Ué, você vai pegar senha?? Não eras tu que colocavas os fãs dentro do camarim de Rita?" E eu respondi: Eu sempre gostei de ser fã, mesmo quando a Rita,…

Rita Lee: uma autobiografia - Trechos de entrevistas

Imagem
"O ESTADO DE SÃO PAULO"

Há momentos delicados de sua história que você não deixou de fora. Você pensou muito até se decidir revelar fatos delicados?
Na medida em que escrevia, percebi que, ao mesmo tempo em que exorcizava os traumas, eu também dava gargalhada das minhas patetices existenciais. Essa bio foi uma autoterapia curadora. Por que decidiu deixar explícita a vontade de mostrar determinados trechos da escrita encobertos por longos traços negros? Quis deixar registrado o meu lado daquela história (que a imprensa não se dignou saber na época) até que o processo que ainda corre por lá prescreva, daí descubro os “longos traços negros” e você poderá saber os mistérios entre o céu e a terra. A roqueira cansou? Esse livro fecha sua história ou acha que ainda vai produzir fatos biográficos em sua carreira? O que mais me orgulha nos 50 anos de estrada foi nunca ter vendido a alma para leis rouanets e palanques políticos. Dos palcos, quero distância; da música, nunca, continuo fa…