Lançamento de um Livro Favo de Rita Lee


13 de junho, dia de Santo Antônio, mas a peregrinação foi para estar com a Santa Rita do Mundo, na Livraria Cultura, da Avenida Paulista (a mesma em que foi lançada a Autobiografia), acreditem, à uma e meia da madrugada fria de São Paulo já tinha gente na fila para conseguir uma das 300 senhas...
Quem já estava por lá de véspera, fez questão de dar uma verificada na área e conferida nos belos painéis com enormes posters dela expostos em uma sala com portas de vidro. Tirar fotos ali era obrigatório. Registrei:



Fui vestida à caráter, com a minha história de fã: colar que ela me deu em Bonito - MS, blusa que ela me deu (Rosa Chá), casaco com o qual eu estava no dia em que ela ganhou o título de Cidadã Carioca e bolsa de vinil com a qual eu sempre ia nos shows entre 2004-2013.

Às seis da matina lá estava eu reencontrando fãs da antiga, lembrando da fase em que fazíamos aqueles tours para os shows, além de ter encontrado com outros novinhos (de Salvador, Maranhão e outros lugares distantes), ou que vinham me cumprimentar ou tirar foto (morro de vergonha), agradecendo o que faço pela Rita, o que fiz, etc. Nessas ocasiões eu sempre digo que nenhum fã da Rita é melhor do que outro, que todos temos histórias importantes com ela, mesmo os que ela não conhece. Olhem que ouvi umas lindas por lá e até pensei em lançar um livro com esses relatos...
Dessa vez as senhas (entregues às 9:00) não eram numeradas, por isso, antes das 2:00 lá estávamos de novo à espera do início da sessão de autógrafos, às 16:00. Rita chegou pontualmente, foi tirar fotos junto ao painel. Corremos para lá a fotografá-la. Lembrei da época dos shows e fiquei gRITAndo o nome dela, Linda, Maravilhosa... Ela olhou para mim, sorriu... As fotos abaixo foram tiradas por esta que vos escreve.




Dessa vez não tinha segurONÇA para nos apressar, puxar ou ficar entre fã e  artista... Levei o meu livro e um outro, de uma fã portuguesa - Isabel - para ela autografar. Cheguei, disse oi, a abracei, ela falou Oiiii, sorriu, perguntei se estava bem, cumprimentei pelo livro, disse que estava com saudades e ela "É, né?!". Quando viu o nome da Isabel ficou me zoando "Ué? Isabelllll?" Respondi que era Norma Sueli (como se ela não soubesse) e complementei que tinha sido assim que ela escrevera no primeiro autógrafo que me deu em 1977, mas tendo colocado o meu nome com "y".

Fui a sétima a falar com ela. Ganhei meu poster da bruxinha e parti para descansar... acho que na próxima os fãs da antiga podiam ter entrada preferencial. #ficaadica 


Sobre o livro, há um texto enorme dela com o título "Jabuti" que é uma maravilha. Depois há alguns outros de menor extensão, mas ficamos querendo ler mais, embora a proposta do livro não seja essa e sim a de trazer lindas fotos (a maioria inéditas) para comemorarmos com ela seus 70 anos. Para isso até fã vestido de abelha tinha.
Se derem uma olhada no post anterior - Abril, Maio, Junho -  http://leeritalee.blogspot.com/2018/04/abril-maio-junho.html há vários links de matérias e entrevistas dela sobre a obra. Sempre haverá aqueles chatos de plantão observando que ela está de abelha na capa, mas se situa como um jabuti no livro ou dizendo que o livro não cobre tudo na carreira dela... mas o que vaLEE é o AMOR.
 


Sobre as celebridades que tiveram a honra de estar com ela, como Eduardo Suplicy, Supla, Luciana Vendramini, Cláudio Lins, Luísa Mel, escolho este para ilustrar o nosso blog, afinal, Tom Zé é Tropicália e Tropicália é Rita Lee.
A foto abaixo também foi tirada por mim:
Então é isso, aguardemos os próximos capítulos da nossa cantriz escritora artista plástica e tantos outros adjetivos. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rita Lee é a Artista com mais canções em trilhas de novelas

Depois de 33 anos, Rita Lee lança novo livro infanto-juvenil: Amiga Ursa

Livro Ditadura no Brasil e censura nas canções de Rita Lee já está à venda