PARA RITA LEE, QUE FAZ ANIVERSÁRIO EM 31/12.

Uma voz
Ferreira Gullar

Sua voz, quando ela canta
me lembra um pássaro,
mas não um pássaro cantando
lembra um pássaro voando.


Desde 1975 acompanho a carreira de Rita Lee. Por gostar tanto do que ela dizia, sempre com muita coragem, nas entrevistas, guardava tudo que saía sobre ela. Isso me fez criar, em minha própria casa, uma montanha de recortes, mosaicos da carreira e da vida dela que fizeram parte da minha vida. Por apreciar a maneira como ela se apresentava na tv, não perdia um programa em que fosse aparecer na telinha. Quando assisti ao primeiro show dela, (seria o Refestança, mas foi cancelado devido à queda de uma parte do cenário no Maracanãzinho) o Babilônia, fiquei tão impressionada que sabia que minha realidade dera um corte. Nada mais seria diferente depois de ter visto um espetáculo como aquele, na minha vida de menina...
Nos últimos 10 anos tive a sorte de ter conhecido a Rita pessoalmente e acompanhado os seus shows pelo Brasil, registrados por minha câmera Sony semi-profissional e por relatos que eu publiquei durante anos no antigo blog que existiu no site do Terra entre 2006-2014. Todos devidamente salvos e com vistas de serem republicados neste novo espaço um dia. Neste tempo, coisas incríveis aconteceram, em função da realidade tecnológica que eu, naquela época em que procurava correspondentes para, através de cartas, falar de Rita Lee com quem também gostava dela, mas que não estava perto de mim, nem sonharia. Hoje, Rita está nas redes sociais, começou no Twitter, Instagram e agora escreve no Facebook, intercalando seus textos com publicações de sua produção na sua Fan Page Oficial. Hoje em dia os fãs podem interagir diretamente com os seus artistas, entretanto, a magia dos Fãs Clubes permanecem... A cada dia um novo FC surge para ela, geralmente fundado por pessoas bem jovenzinhas, que me procuram para conselhos, dicas, aplaudo a iniciativa deles quererem organizar algo tão trabalhoso como um Clube de fãs, acho  bonita a consideração para comigo, que fundei um em 1979 mas continuo dizendo que, apesar de pesquisar sobre Rita Lee, só sei que nada sei...
Artista consagrada, chega aos 67 anos com um feito que pouquíssimos da sua época conseguem: manter os fãs de outrora, agregando sempre novos. E quando digo novos, são novos mesmo, na faixa dos 8 aos 14. Acompanho isso de perto! E hoje é dia de a gente pensar nessa data 31  nos trazendo não só o final do ano e começo de outro, mas justamente a concepção do que a arte de Rita representa: um começo quando tudo parecia acabar, uma luz no final do túnel. Um renascer como Fênix de todas as dificuldades, uma certeza de que a vida pode ser mais leve sem ser superficial.
Eu passo o ano inteiro lembrando às pessoas o que a Rita já fez nesse país. Fatos da carreira dela em todos os meses do ano... do primeiro show como Danny, em uma festa de aniversário da Vila Mariana em 07/03/1964 à estreia com Gilberto Gil e Os Mutantes no Festival da Record que a projetou para o Brasil, em 06/10/1967. Da primeira assinatura com a gravadora Continental como O'Seis, em 1966 a ser a maior vendedora de discos desse país e detestar essas cifras, por não se considerar sabão em pó. Das primeiras composições (Suicida e Apocalipse) à parceria com Roberto de Carvalho, iniciada com Disco Voador, em 1978. À primeira vez em que saiu em uma capa de revista, em 10/10/1968 à mais recente, na primeira página de O Globo de agosto de 2014, em função de uma das muitas homenagens que recebeu no ano passado, neste e no que virá... ao primeiro prêmio, em 1968, quando os Mutantes foram eleitos o melhor conjunto musical pelo Troféu Imprensa aos que ela vem sucessivamente recebendo por todas estas 5 décadas de trabalho pelo Brasil. E até no Carnaval Rita esteve, homenageada por Rio Claro - SP nos anos 90, (foi enredo da Escola) e hoje virou um bloco em SP! 
Desde que descobri Rita Lee fiquei pensando em como poderia agradecer a ela por tudo que fez por mim, por toda a força que suas músicas me deram, por toda a inteligência de suas frases que me tornaram uma pessoa melhor, por toda a sua ousadia, que me fez também ousar e ir em frente, sem pensar nos julgamentos alheios. Quem pode, pode, deixa os acomodados que se incomodem, não é mesmo, MusAmada? Então, tenho orgulho de ter conseguido organizar singelas homenagens para ELA neste ano: levei os fãs para assistirem, como convidados, dois musicais que a homenagearam; Rita, o Musical (RJ) e Se eu fosse você (SP). Também lancei um selo, junto à ECT, em homenagem aos 50 anos de sua carreira. No dia 13/12, tivemos em SP o II Encontro Lee, que percorreu lugares importantes na vida e na carreira dela. E no ano que vem, sairá uma revista-livro com fatos que marcaram a sua trajetória profissional, feita com a colaboração de outros fãs. 
Façamos por Rita enquanto Ela está VIVA.
Mas como nós somos suspeitos para falar Dela, deixemos que outros falem..., porém, fica a pergunta: quem não é fã de Rita Lee nesse mundo?  

PARABÉNS PARA VOCÊ, NESTA DATA MAIS DO QUE IMPORTANTE E QUERIDA.

Algumas opiniões sobre a Rita que recolhi dos meus recortes:

"Rita não é só para ser ouvida. Seus shows são um comício. A liberdade fica ali na cena (...) Seu protesto nunca foi chato, sua superficialidade é profunda. Como Rita é original... ninguém é como ela no Brasil. Nunca cantou de um só ponto de vista, porque Rita são várias no palco, ela parece um conjunto." Arnaldo Jabor, O Estado de SP, 23/09/2003

"A esquerda de Neanderthal sempre acha que prazer é de direita (...) Rita tem uma obra tão importante quanto Caetano, Chico ou Gil (...) A mais completa do País, a mais íntegra, a mais coerente. (...) Me ajuda a viver: sua música pontua a minha própria história." Caio Fernando Abreu, Folha de São Paulo, 20/08/1997

"Depois de canções como Mamãe Natureza e Mania de você, toda vez que encontrava com ela a chamava de meu poeta." Caetano Veloso, Revista Bizz, 1985.

"Vê-la é como girar num caleidoscópio vertiginoso. Muitas Ritas, uma só, a única. Não que seja perfeita. Pode falhar, errar, voltar atrás, fazer besteira (...) dar mancada, explodir, pirar (...) conquistou o direito de. Isso: o direito de. Sua obra riquíssima... Então, muito respeito: a batalha de Rita já foi ganha com o garbo da própria Greta." Mário Prata, O Estado de São Paulo, 09/11/2002

"A Rita Lee é perfeita" Angeli, Zero Hora, 31/07/2006

"Rita Lee é a Cacilda Becker da Nova Era." Glauber Rocha, citado por Eduardo Logullo, Revista da Folha, 1992.

"O Juca Chaves este aqui outro dia e disse que você é a mulher mais bacana que tem no Brasil (...) artista notável." Flávio Rangel, comentando para a Rita, na entrevista que ela deu ao Pasquim, sem setembro de 1970.

"Rita Lee é a mulher mais inteligente que eu conheci". Nelson Motta, Revista Bundas, julho de 2000.

"Rita Lee é a melhor coisa que aconteceu nessa cidade de São Paulo e que a gente deu para o Brasil. Devia ter todo o dia um monumento Rita Lee, praça Rita Lee, rua Rita Lee. É uma sorte a gente conviver na mesma época que ela, ter ela cantando pra gente e fazendo a vida da gente melhor." Mônica Figueiredo, 1995.

"Eu reconheço nela uma poeta de qualidade impressionante." Albino Pinheiro, Jornal do Brasil, 22/09/1985.



Comentários

  1. Para Rita Lee, toda saúde, todo amor e gratidão!

    Vida longa!!!

    Beijos!

    Denise

    ResponderExcluir
  2. Rita meu Deus, não dá pra descrever o que eu sinto por você... Parabéns meu amor!!!!! Parabéns Norma, obrigada por nós mostrar essa pessoa tão importante, continue assim!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Rita muitos anos de vida e saúde para você!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Rita Lee é a Artista com mais canções em trilhas de novelas

Rita Lee: entrevista exclusiva para este blog

Os sete últimos shows de Rita Lee, entre 2012/2013